19 de janeiro de 2012

às 04:37

"Pseudos-Intelectuais" que amam o BBB

Olá meninas!!


Hoje vou usar o blog para falar de um assunto ainda nao discutido aqui. Assunto esse que fará parte eternamente da minha vida: Big Brother Brasil. Li um artigo falando sobre o programa e não posso deixar passar despercebido. Apesar de ter sido escrito a algum tempo, na última semana ele esteve bastante evidenciado nas redes sociais. Segue um resumo com as partes mais interessantes que eu não poderia deixar de comentar: “Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. [...] Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência. [...] Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade. Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis? Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores) , carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados. Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia. Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna. Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns). Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo. O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a “entender o comportamento humano”. Ah, tenha dó!!! Veja o que está por de tra$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefonica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão. Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros? (Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores). Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores. Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa? Ir ao cinema, estudar , ouvir boa música, cuidar das flores e jardins ,telefonar para um amigo , visitar os avós , pescar, brincar com as crianças , namorar ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.” Autor desconhecido. Bom, acho que até vocês cansaram de ler tamanha ignorância desse autor né? Pois é! Não gosto de expressar minha opinião em assuntos que não me dizem respeito porém, confesso que esse artigo que foi republicado por meu amado e amigo Walter em seu facebook, que tanto torceu e vibrou por mim durante a minha permanência no Big Brother Brasil 11 me causou um pouco de indignação... Não fui contratada pela TV Globo e nem sou defensora do BBB. Prova disso é que nunca expressei minha opinião sobre tal programa. Mas hoje,diante da árdua opinião de algum "pseudo-intelectual", eu preciso dizer que sou apenas mais uma entre os milhões de brasileiros que agradecem ao Robert Adler por ter inventado o controle remoto para sequer ter o trabalho de nos levantarmos do sofá para trocar de canal ou até mesmo desligar a TV quando algo estivesse influenciando a nossa "cultura e valores". Isso sem contar que quando alguém tem cultura e valores, não existirá programa algum de TV que irá influenciar ou modificar isso,desde que seja realmente inerente ao ser. Quanto aos milhões que a TV Globo ganha a cada 29 milhões de telespectadores que assistem ao programa, isso não diz respeito a ninguém senão aos idealizadores do programa, pois televisão é entretenimento,diversão,reportagens do Brasil,do mundo e da vida real também!! As pessoas precisam entender que o Big Brother Brasil é um programa de entretenimento e não de assistencialismo. Quem tem OBRIGAÇAO de construir casas populares ou distribuir computadores é o governo!!! Quanto ao fato ocorrido entre 2 participantes na noite do sábado que passou, realmente foi um pouco assustador para crianças que tenham assistido ao episódio porém, não posso deixar de ressaltar que quem deve educar os filhos são os próprios pais e não a televisão brasileira. Hoje em dia todos nós podemos bloquear por tópicos o acesso em qualquer meio de comunicação. Então, não venham os falsos moralistas criticar um programa de entretenimento onde ninguém é obrigado a assistir e muito menos participar. Fico revoltada quando ouço críticas a tal programa onde 90% da população sonha em entrar e quando entram, possuem a plena noção do que estão fazendo, sem contar que são todos maiores de idade.Então por favor, parem de ser falsos moralistas pois todos que um dia passaram por este programa são sim heróis porque colocaram a "cara a tapa" em busca de uma situação financeira melhor sem se importar com criticas ou julgamentos de terceiros já que todos os fatos que acontecem lá dentro,acontecem também aqui fora. E está aí a grande diferença!! No Big Brother Brasil nós mostramos a realidade sem nos escondermos por debaixo dos panos para tentar passar a imagem "limpa" que no Brasil ninguém tem, a não ser os pequenos anjos que acabaram de nascer e ainda viv em a pureza de Deus. Então, parem de hipocrisia!! Por favor!! Vivam o mundo "intelectual e cultural" de vocês e não critiquem um programa onde a maioria que está concordando com este artigo daria tudo para fazer parte. Me admira muito o autor desse texto perder seu valioso tempo criticando um programa que como o próprio mesmo diz "não acrescenta em nada". Vivemos em sociedade e acho mais do que justo expressarmos nossas opiniões, mas vamos ser coerentes a realidade do Brasil e a realidade de vocês que por sinal não é nada diferente da de todos que passaram um dia pelo confinamento. Enfim, não estou aqui para discutir opinião e muito menos dizer que sou a dona da verdade, só acho que chegou a hora de dar um basta a tanta hipocrisia. Viva o Robert Adler!
» Enviar por e-mail » 52 Comentários
» Por Adriana Sant'Anna

10 de janeiro de 2012

às 15:17

O queridinho do momento

Olá meninas!

Nesses últimos dias estive em Campos para rever a família e amigos. Como o tempo estava bem tranquilo, dei uma passadinha no salão Karla Bernardes Hair Dresser para dar uma mudada no visual. Acredito que já tinham reparado que andava com os cabelos escuros né? Mais como o louro me persegue, dei uma clareada no tom. Assim que cheguei no salão me deparei com as prateleiras cheias do famoso Moroccanoil, afinal Karla está sempre atenta em todas novidades. Não pensei duas vezes em fazer a nutrição no meu cabelo após a descoloração. Foi instantâneo meninas, com o shampoo eu já senti a diferença. Vale super a pena experimentar, ainda mais agora no verão que os cabelos são mais agredidos que normalmente.


O óleo foi misturado na máscara e aplicado nos cabelos lavados, logo depois 15 minutos no vapor e finalizando com uma escova. Simples e maravilhoso.
Espero que tenham gostado da dica.
Beijinhos!
» Enviar por e-mail » 22 Comentários
» Por Adriana Sant'Anna » Tags ,

6 de janeiro de 2012

às 21:15

Estreiando o post pelo iphone

Olá,Meninas! Quem é viva sempre aparece,né?! Rs! Então,baixei um aplicativo para blog aqui no celular e vou tentar estreiar postando a foto do look que usei hoje para ir a um barzinho com meu namorado e amigos... Como estava calor, optei por um vestidinho tomara que caia bem soltinho, com uma sandalia coringa que comprei. Ela é super confortavel e vai bem com tudo!



E ai, gostaram?
» Enviar por e-mail » 32 Comentários
» Por Adriana Sant'Anna » Tags